Make your own free website on Tripod.com

Oráculo e imaginário popular: Londrina (1975-1998)

JOSE ORLANDO RODRIGUES

UNESP

Este trabalho deve ser entendido como um exercício de construção do objeto científico tendo por referência leituras diversas realizada no decorrer dos anos, assim como a vivência com oráculos diversos e seus consulentes.
Busca entender de que forma estes oráculos (búzios, tarô, cartas, cartas ciganas) sofreram transformações do decorrer dos 18 anos de estudo na cidade de Londrina - Pr.
Em 1975, o país começa a viver as transformações da ditadura para a democracia, e em Londrina é o ano da pior geada que se teve "a geada negra", muito comentada nos jornais da cidade e que de certa forma causou um grande transtorno e até mesmo uma mudança, com relação ao plantio do café na cidade, também nesta época , e nos anos que se seguiram surgem cada vez mais oráculos e a busca para soluções da crise.
Nossa pesquisa mostra que nestes 18 anos houve diversas mudanças sociais, culturais, econômicas , tecnológicas e até acadêmicas, com relação de que forma as pessoas vêem e entendem os oráculos. Lembrando que o oráculo era considerado um crime previsto por lei, e com as transformações passa a ser "uma forma de atuação de algumas religiões", portanto "até tolerado" pela lei.
Com o tempo o indivíduo deixou de acreditar nos projetos coletivos que lhes eram preparado pelo estado ou pela religião, e começa a buscar "o seu destino" e a forma de vivenciá-lo melhor. O oráculo pessoal aparece como sendo a fórmula dele se ver e encontrar o seu caminho dentro de uma sociedade cada vez mais individualista e tecnocrata.
Paralelo a isso, continua a perseguição religiosa, a intolerância de grupos pentecostais, a própria concorrência oracular entre as religiões em si e religiões e leigos.
Qual a visão destas transformações por quem faz ou é intermediário do oráculo, de quem necessita do oráculo e busca no oráculo um caminho para o seu futuro, e até mesmo daqueles que vêem no oráculo apenas uma fonte de lucro.
Nesta guerra encontramos os " oráculos a moda antiga" e os "oráculos modernos", os que se encontram vinculados as religiões como o búzio com as religiões africanas, a utilização da profecia nos pentecostais Tc..., e os oráculos dos particulares onde o cidadão nem sempre vinculado a uma religião oficial trabalha com o oráculo.
Enfim de que forma os oráculos respondem a angústia que a modernidade traz a Londrina nestes anos de crise e transformação da sociedade, londrinense, paranaense e brasileira de uma forma geral.